2021-05-11

Trabalhamos sem parar para sermos felizes. Então, porque não somos?

Em «A Arte de não Fazer Nada», a jornalista Celeste Headlee ensina a libertarmo-nos do stresse constante e a vivermos a vida que realmente queremos, através de uma investigação cuidada e de diversas histórias cativantes.

Partilhar:

A autora desafia-nos a transformar a forma como encaramos o tempo, a performance e a qualidade de vida, dando-nos estratégias específicas e dicas para reorganizar o nosso quotidiano.

 

Segundo o Shelf Awareness, «Este livro é mais do que um manual de autoajuda ou de dicas para melhorar os seus hábitos de trabalho. Celeste Headlee desconstrói de forma sistemática a toxicidade da cultura do excesso de trabalho, recorrendo a uma investigação histórica e científica para ajudar os leitores a pôr em causa os seus próprios hábitos e impulsos».

 

A Arte de não Fazer Nada vai, no fundo, ensinar-lhe a mestria de simplesmente estar… para estar bem. Não é isso que queremos todos?

 

«Apesar de trabalharmos mais do que nunca, estamos mais deprimidos, ansiosos e infelizes do que em qualquer outro momento da história. Não há dúvida de que o nosso estilo de vida moderno simplesmente não está a funcionar. Na verdade, está a destruir-nos. Mas o que podemos fazer? Com inteligência e compaixão, Headlee apresenta soluções realistas para recuperarmos tanto a saúde como o nosso sentido de compaixão da revolução tecnológica que parece determinada a destruí-las. Sinto-me tão grata por este livro. É a promessa de uma vida melhor ao alcance de todos.» – Elisabeth Gilbert (autora de Comer, Orar, Amar)

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK