2021-04-07

«Prisioneiros da Mente», de Augusto Cury: novo romance cativante e inesquecível sobre os cárceres mentais

«Prisioneiros da Mente», de Augusto Cury – o psiquiatra, psicoterapeuta, cientista e escritor brasileiro que dispensa apresentações –, que chegará às livrarias portuguesas já amanhã, «é um romance permeado pelo universo psiquiátrico e sociológico, que disseca as prisões mentais comuns a quase todos nós mas que dificilmente conseguimos mapear ou ter coragem para verbalizar».

Partilhar:

De facto, Prisioneiros da Mente, de Augusto Cury, traz-nos uma história que nos faz refletir sobre o que fazemos e quem realmente somos. Trata-se de uma lição de vida, tanto para os mais favorecidos financeiramente, que acreditam ser os donos do mundo, como para os menos favorecidos, que acreditam que é o dinheiro que lhes vai trazer felicidade. Na realidade, todos temos cárceres mentais que precisamos de conhecer e de aprender a desbloquear. Afinal, «é mais fácil acumular uma riqueza material do que enriquecer espiritualmente».

O protagonista é Theo Fester, um poderoso magnata de renome mundial, que teve um início de vida dramático mas que acabou por se tornar um dos homens mais ricos do mundo. Porém, a riqueza e o poder não conseguem esconder a verdade: a família Fester está falida e dilacerada por disputas e rancores.

Após um encontro com o psiquiatra Marco Polo, Theo descobre que existem milhares de pessoas a viver prisioneiras dos seus próprios egos. A sua própria família é um exemplo perfeito de miséria emocional. À beira da morte, Theo tentará libertar os seus três egocêntricos filhos dos cárceres mentais e fazer deles pessoas mentalmente saudáveis.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK